© 2018 -  Todos os direitos reservados - Design by Galismarte

Siga a Gente

  • Skiner Facebook
  • Skiner Instagram
  • Skiner YouTube

Downloads

Skiner Downloads
  • Skiner Estetica

Eletrolipólise



A Eletrolipólise consiste na estimulação elétrica da lipólise, caracterizada pela aplicação de microcorrentes específicas de baixa frequência que atua diretamente nos adipócitos e nos lipídios acumulados produzindo sua destruição e favorecendo sua posterior eliminação. Pode ser utilizado com agulhas ou por meio de placas condutoras.


A célula é um elemento vivo que possui a capacidade de reagir aos estímulos elétricos, da mesma forma que reage a estímulos de natureza hormonal, térmica, mecânica e química. As células usam íons para o movimento das cargas e o campo elétrico que se origina entre os eletrodos, provoca em nível local uma série de modificações fisiológicas. Em resposta a estimulação elétrica estimulam terminações nervosas do sistema nervoso simpático, com aumento da concentração de catecolaminas e consequentemente estimulação da lipólise, por aumento do AMPc intracelular.


Os principais efeitos fisiológicos produzidos pela eletrolipólise são:

Efeito Joule: Aumento de temperatura local, porém essa temperatura na eletrolipólise não atinge tecidos orgânicos, visto que se trata de uma corrente de uma intensidade muito pequena, porém suficiente para contribuir para uma vasodilatação com aumento do fluxo sanguíneo local estimulando o metabolismo celular local, facilitando a queima de calorias.

Efeito Eletrolítico: O campo elétrico gerado pela corrente na eletrolipólise induz o movimento iônico que resulta em modificações na polaridade da membrana celular. A célula tende a manter o seu potencial elétrico de membrana normal e essa atividade consome energia a nível celular.

Efeito de estímulo circulatório: O efeito Joule contribui em parte para uma vasodilatação, pois a corrente atua com o estímulo direto nas inervações promovendo uma ativação da microcirculação. Já foi demonstrado em estudos que em frequências em torno de 25Hz é mais eficaz para tratar alterações circulatórias e congestivas.

Efeito Neurohormonal: Influi sobre a lipólise: ocorre a estimulação do sistema simpático e diminuição da atividade da estimulação do sistema parassimpático.

Alguns trabalhos já realizados com essa técnica demonstraram a presença de quantidades significativas de glicerol na urina, horas subsequentes ao tratamento. (sabe-se que em condições basais o glicerol não é detectado na urina). Esse fato indica a ativação da lipólise na área tratada.

As principais ações resultantes da aplicação da técnica são:

Ação Antiinflamatória

Por reabsorção dos metabólitos, o que vai diminuir as reações edematosas. O efeito da corrente elétrica modifica a permeabilidade da polarização da membrana celular: Distribuição dos íons de Na+ ou K+ é alterada como o conteúdo de dentro da célula.

Ação de Vasodilatação

Por excitação elétrica da enervação vascular. Esta alteração no calibre dos vasos modifica o metabolismo das células e lhe permite aumentar as trocas celulares, melhorando a nutrição celular.

A corrente elétrica ativa a microcirculação local, aumentando o débito circulatório, facilitando a eletroforese e a eliminação das toxinas e dos produtos de deterioração de ácidos graxos.

Ação Hidrolipolítica

Por excitação elétrica das terminações do sistema neuro vegetativo simpático. Esta excitação ativa uma liberação do AMP cíclico intra-adipocitário que acarreta na degradação das triglicérides. O tecido gorduroso é rico em água e em eletrólitos; toda corrente elétrica que cruzar o tecido irá provocar um fenômeno de eletrólise inevitavelmente; a troca iônica através da membrana celular ficará melhor.

Os adipócitos nas zonas de celulite são células estáticas. Esta corrente elétrica mobiliza os adipócitos de certo modo a aumentar sua eliminação acarretando na degradação de lipídios e em resíduos de combustão celular.

Indicações:

- Hiperlipodistrofia; Fibro edema gelóide.

Contra indicações:

- Lesões cutâneas, Neoplasias, Infecções, implantes metálicos, gestantes, portadores de marca passo, flebites, processos inflamatórios.

Aplicação:

Em geral, utiliza-se 4 tipos de ondas que terão atuações diferenciadas na pele de acordo com as suas características e as frequências deverão ser ajustadas de acordo com o objetivo pretendido.


As quatro formas de estimulação elétrica celular são:

Onda A – de repetição continuada, sendo sua freqüência de trabalho Ideal de 50 Hertz, portanto de ação mais superficial, utilizada para dessensibilizar a pele na região onde realizaremos o tratamento desejado, útil na aplicação com agulhas.

Onda B - de sensação mais rude, tem sua ação mais direcionada a drenagem da pele, e necessitando de uma freqüência de 30 Hertz para ter sua ação na derme, parte mais vascularizada da pele. Seu tempo de aplicação girará em torno de 10 a 20 minutos, de acordo com a avaliação profissional, pois maiores tempos de aplicação serão necessários se tivermos maior edema na formação da celulite.

Onda C - esta tem sua ação sobre a célula gordurosa (adipócitos), que quando temos um aumento na ingestão de comida, temos um aumento na produção de insulina (que armazena esse excesso sob a forma de gordura). Esse excesso de insulina em outra ação prejudicial ao funcionamento da célula de gordura, que impede a ação dos hormônios e outras substâncias que ativariam a saída de gordura, o que leva a uma piora (por aumento de quantidade) no armazenamento de gordura.

Onda D – esta onda tem a prioridade de fazer uma eletro-estimulação profunda, pois trabalha na mais baixa freqüência (5 Hertz), o que produz uma contração muscular bem efetiva, levando assim a uma drenagem posterior aos efeitos obtidos até então.

Pode ser necessário fazer a mudança tanto das tiras de silicone como das agulhas para uma melhora da contração muscular.

Sugestão de colocação de placas ou agulhas para eletrolipólise:


Referências:

Bartoletti, C A Medicina Estetica, 1a. Edição, Salus Internazionale, 1998.

Bazin, Sarah Eletroterapia de Clayton, 10a. Edição, Manole, 1998.

http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/745/1/CT_PPGEB_M_Paula%20Mariana%20Ribeiro%20de_2013.pdf

http://www.redalyc.org/pdf/260/26029237013.pdf

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-51502012000100013&script=sci_arttext

http://sare.anhanguera.com/index.php/rensc/article/viewArticle/426

#eletrolipólise #celulite #antiinflamatória #vasodilatação #hidrolipolítica #hiperlipodistrofia #fibroedemagelóide #lesõescutâneas #neoplasias #infecções #implantesmetálicos #gestantes #portadoresdemarcapasso #flebites #processosinflamatórios #epiderme #derme #hipoderme #zonamuscular

348 visualizações